O que é um síndico profissional?

O síndico profissional é uma pessoa contratada pelo condomínio para exercer a função de síndico do local. Ao contrário do síndico morador, o vínculo desse trabalhador com o condomínio é focado na parte profissional. Em geral, esse prestador de serviço não é morador e nem proprietário de um imóvel no empreendimento.

As obrigações de um síndico profissional são as mesmas de um síndico morador. É responsabilidade dele:

  • Administrar o condomínio;
  • Cuidar e gerenciar os fundos de reserva;
  • Lidar com as demandas dos moradores e mediar conflitos;
  • Organizar o cronograma de obras e manutenções;
  • Fiscalizar a inadimplência e as ações judiciais do condomínio;
  • Organizar as reuniões de assembleia e garantir que os moradores sejam notificados;
  • Coordenar a equipe de funcionários contratados e terceirizados;
  • Garantir a organização e preservação das áreas comuns do condomínio, como salão de festas e piscinas.
Serviços de Síndico Profissional.

 

Gestão do Condomínio com seriedade de uma empresa – Governança, Ética e Sustentabilidade, sem descuidar dos relacionamentos, garantindo a qualidade de vida dos moradores, funcionalidade e valorização.


Especialistas.

Dedicação exclusiva para gestão condominial, com formação específica.
Conhecimentos multidisciplinares nos regulamentos, legislação, processos e práticas operacionais, manutenção e financeiro.


Gestão Administrativa.

• Realização das Assembleias ordinárias e extraordinárias.
• Acompanhamento Tributário e Controle de Arrecadação.
• Cumprimento das determinações da Assembleia, Convenção, Regulamento Interno e Cód. Civil.


Gestão Financeira.

• Planejamento Orçamentário em conjunto com Conselho e Administradora.
• Revisão semestral de orçamento.
• Prestação de contas.
• Demonstração dos Balancetes – análise de receitas e despesas.


Gestão Operacional.

• Elaboração de procedimentos operacionais e métricas.
• Fiscalização dos terceiros.
• Gestão de pessoal direto.
• Seleção de Fornecedores.
• Gestão de Risco e Seguro.


Gestão de Conflitos.

• Gestão de conflitos e intermediação, com análise de causas.
• Aplicação do Regulamento e Convenção de maneira harmônica, aplicando multas conforme regulamentos.


Manutenção Predial.

• Gestão de manutenção predial, preventiva e corretiva.
• Acompanhamento de obras e reformas nas áreas comuns e fiscalização nas unidades privativas.
• Gestão dos Sistemas de Segurança e Incêndio.


• Realização das Assembleias ordinárias e extraordinárias.
• Cumprimento das determinações da Assembleia, Convenção e Regulamento Interno e Código Civil.
• Controle da arrecadação das taxas e tratamento da inadimplência e otimização de receitas.
• Acompanhamento Tributário para redução de custos e riscos.

PREVENÇÃO DE SEGURANÇA

Todo condomínio deveria investir em segurança. Além disso, é preciso estar sempre alerta a toda movimentação. Pensando nisso, listei 10 dicas de segurança para o seu condomínio.

Com o aumento constante da criminalidade é preciso estar atento. Algumas atitudes podem comprometer a segurança do condomínio, e acabar expondo todos ao perigo.

São pequenos descuidos como:

  • Abrir o portão da garagem ao identificar apenas o veículo de um morador sem verificar quem está no interior do mesmo,
  • Um funcionário deixar a portaria sem a presença de outro profissional,
  • Ter na portaria equipamentos como televisão ou rádio que possam tirar a atenção do profissional,
  • Um morador reclamar quando um funcionário causar ‘algum transtorno’ por apenas fazer cumprir as normas de segurança do condomínio,
  • Um morador permitir que o porteiro libere a entrada, antecipada, de um visitante que ainda não chegou.

Aqui você encontra dicas de como tratar os prestadores de serviço dentro do condomínio. Abaixo listamos 10 dicas que podem ajudar previnir problemas de segurança

 1. Cumprir as normas do condomínio.

Estas normas de segurança visam o bem estar e a proteção de todos, e são pré-estabelecidas em reuniões e as regras valem para condôminos e funcionários.

Lembre-se que pequenas exceções podem dar abertura para ações criminosas.

2. Equipamentos de segurança internos e externos.

Pontos de iluminação e câmeras de vigilância podem ser fixados em lugares estratégicos, além de áreas comuns, academias e salões.

3. Encomendas e entregadores

Para receber encomendas o ideal seria que o condomínio possua uma passagem apenas para pacotes, pois assim evita o contato humano.

Se o morador estiver aguardando uma entrega, o mesmo pode ser chamado na portaria para recebê-la.

Não é necessário um entregador ir até o apartamento do morador, e caso a entrega não seja esperada, a entrada não deve ser permitida.

4. Identificação

Empregados domésticos e prestadores de serviços devem ser previamente identificados. Até mesmo funcionários de Companhias de água, luz, telefone e gás.

Se utilizar algum procedimento com mão de obra especializada como técnicos de TV ou Internet, o ideal é anotar nome e o número do RG do funcionário.

5. Portaria

A portaria não é um salão de festas. Evite tumultos e aglomerações. Discrição e atenção são fundamentais. Não fale sobre os hábitos dos moradores.

6. Festas e Eventos

O morador poderá entregar uma lista de convidados, com nome e sobrenome de todos os convidados. O porteiro, com a lista em mãos, poderá permitir a entrada de seus convidados, mediante identificação dos mesmos.

7. Mudança

Quando há chegada ou saída de moradores, é preciso redobrar a atenção. O ideal seria ter um aviso, sobre a mudança que está sendo realizada, com antecedência identificando a empresa responsável pela a mesma.

8. Movimentação estranha

Para manter a segurança de um morador que estiver saindo a pé, por exemplo, seria correto dar uma olhada pelo circuito interno de TV. Assim poderá perceber se há a presença ou movimentação de pessoas estranhas no lado de fora do condomínio.

 9. Entrada de veículo no condomínio

O condomínio pode criar um sistema de identificação com adesivos fixados no veículo do morador.

Mas ainda assim, o porteiro pode solicitar uma rápida visualização para certificar-se se não há uma situação de risco ao permitir a entrada do veículo.

10. Portão

Para manter a segurança do seu condomínio, ao abrir ou fechar o portão, esteja atento para não ser surpreendido por alguém que esteja esperando apenas um momento de distração para entrar no condomínio.

Segurança nunca é demais.

Para colocar em prática as 10 dicas de segurança para o seu condomínio é preciso estar sempre atento.

Os profissionais responsáveis pela portaria devem ser bem orientados.

Ainda que sem intenção, a falha humana pode ser um fator decisivo para a ação dos bandidos.

E o principal cuidado que se deve ter, além de seguir as 10 dicas de segurança para o seu condomínio, é que todos devem seguir e respeitar as normas de seguranças que são pré-estabelecidas.

1º ENCONTRO DE EMPRESÁRIOS

1º encontro de negocios no Condominio Residencial Castelo Branco

 

Decoração de Natal em condomínios

Poucas coisas representam tão bem o final do ano do que adecoração para o Natal! Com ele, vem a tradição de enfeitar os condomínios com luzes e árvores típicas da época.

Difícil um condomínio que não coloque nem uma luzinha para dar um brilho ao seu jardim.

Por isso, o SíndicoNet traz algumas dicas e cuidados necessários sobre o assunto.

Como organizar?

  • Planejamento: Antes de qualquer coisa, deve haver um planejamento sobre o quanto pode ser gasto com a decoração natalina. Se esse tipo de ornamentação já está previsto no orçamento anual, ou não envolva custos elevados, é provável que não seja necessário nenhum tipo de rateio extra. Caso contrário, vale votar em assembleia tanto se vai haver ornamentação e, caso haja aprovação, quanto dinheiro será empregado na tarefa. A votação necessária é a maiora simples dos presentes (50% mais um)
  • Rateio: As administradoras consultadas sugerem que haja um rateio anual para os custos com a decoração. Desse modo, por se tratar se uma despesa ordinária, os inquilinos também devem pagá-la.
  • Mão na massa: Para ajudar a montar a decoração, vale montar uma comissão de moradores interessados. As crianças também podem ajudar no trabalho, promovendo assim uma maior integração no condomínio.
  • Compras: Comprar esse tipo de artigo nos centros populares, como a rua 25 de março, em São Paulo, colabora para manter os custos ainda mais baixos. Dê preferência para as lâmpadas de LED, apesar de mais caras, são bem mais econômicas e, por durarem mais, poderão ser usadas em vários Natais. Vale ressaltar que a qualidade do produto é imprescindível para evitar riscos de choques e até incêndios. Verifique a voltagem e se o plugue da conexão tem o selo do Inmetro.

Tipos de decoração

Outro ponto importante é o tipo de decoração que o condomínio espera apresentar. Se o desejo for por algo simples, como lâmpadas do tipo “pisca-pisca” nas árvores do jardim e enfeites do mesmo tipo na portaria, os próprios funcionários podem se encarregar de fazê-lo. Também é possível colocar uma árvore de Natal no hall social, com algumas caixas, que simbolizam os presentes, embaixo dela. Nesses moldes, a decoração sai bem em conta. Na hora de montá-la vale usar os enfeites de anos anteriores – os custos são apenas em substituir as lâmpadas queimadas e algum enfeite quebrado.

Quem quiser uma decoração mais ecológica pode usar a criatividade e criar enfeites com garrafas pet e revistas antigas, por exemplo.

Há outros lugares, principalmente os condomínios comerciais, que optam por apresentações mais elaboradas. Para quem quer uma decoração completa de fachada, é preciso preparar o bolso.

Dependendo da empresa escolhida e do tipo de ornamentação o custo pode superar os R$ 10 mil.

Nesses casos o recomendável é contar mesmo com a mão de obra especializada – já que não é possível para os funcionários do prédio, por exemplo, colocar lâmpadas em toda a fachada.

Quem opta por uma decoração maior também deve se antecipar sempre que possível –  tanto na decisão do orçamento empregado quanto na pesquisa da empresa escolhida.

Com a proximidade do Natal, as prestadoras desse serviço vão ficando cada vez mais atarefadas, com menos horários disponíveis e, é claro, cobrando mais caro.

Cuidados com a rede elétrica

Programa Casa Segura, criado com o objetivo de alertar a população sobre os riscos de acidentes elétricos, dá algumas dicas para evitar que a iluminação natalina seja a causa de acidentes e tragédias. Veja abaixo:

  • Escolha com cuidado os cordões de luz, mangueiras e pisca-piscas. Eles devem ser de boa procedência e certificados pelos institutos controladores de qualidade.
  • Antes de instalar os artefatos, especialmente os já utilizados anteriormente, verifique sua condição geral e preste atenção às emendas e à película plástica isolante. Emendas e conexões devem estar protegidas com fita isolante de boa qualidade.
  • Assegure-se de que a capacidade e a resistência dos condutores, tanto da fonte de energia quanto dos enfeites em si, sejam compatíveis com a carga elétrica requerida, observando o correto dimensionamento de cabos e fios.
  • Confirme se a tensão das lâmpadas é compatível com a tensão da rede.
  • Só ligue o equipamento na tomada após a conclusão da montagem, para evitar acidentes por falhas no isolamento de fios ou nas emendas.
  • Nunca toque na fiação nem substitua lâmpadas queimadas com o aparelho ligado à fonte de energia.
  • Na ornamentação de exteriores (como fachadas, jardins, varandas e grades), o cuidado deve ser redobrado. A umidade e a presença de água são fatores que elevam bastante a probabilidade de acidentes.
  • Não instale objetos decorativos nas proximidades da rede pública de energia e jamais use os postes para ornamentação.
  • Finalmente, não faça nenhuma instalação se você não tem conhecimento prévio de segurança elétrica. O correto é contratar um profissional habilitado para orientá-lo na aquisição de dispositivos e para realizar a instalação.

Outras possibilidades

Em muitas cidades, há a possibilidade de alugar a decoração natalina. Dessa forma, consegue-se variar os motivos anualmente sem investir na compra dos materiais.

Em condomínios clube, uma opção bacana para integrar as crianças é chamar uma equipe especializada em enfeites natalinos. Dessa maneira, dá para juntar os pequenos para a elaboração de ornamentos únicos para a árvore de Natal, por exemplo.

Outra forma de manter o espírito natalino em alta é colaborar com alguma ação social. Os condôminos doam roupas e brinquedos para alguma instituição de caridade e, depois, podem ajudar no momento da entrega.

Fontes consultadas: Conteúdo SíndicoNet

Todo condomínio deveria investir em segurança. Além disso, é preciso estar sempre alerta a toda movimentação. Pensando nisso, listei 10 dicas de segurança para o seu condomínio.

Com o aumento constante da criminalidade é preciso estar atento. Algumas atitudes podem comprometer a segurança do condomínio, e acabar expondo todos ao perigo.

odo condomínio deveria investir em segurança. Além disso, é preciso estar sempre alerta a toda movimentação. Pensando nisso, listei 10 dicas de segurança para o seu condomínio.

Com o aumento constante da criminalidade é preciso estar atento. Algumas atitudes podem comprometer a segurança do condomínio, e acabar expondo todos ao perigo.